Milhares de pessoas foram às ruas no domingo em apoio ao casamento civil gay (Thomas Samson)


A Assembleia francesa começa hoje a analisar o projeto de lei do governo que autoriza o casamento gay no país. A duração dos debates sobre o casamento civil gay têm previsão de 15 dias. A proposta divide a sociedade francesa e tem forte rejeição de grupos católicos e dos partidos conservadores.

Na oposição, a maioria dos deputados do UMP, partido do ex-presidente Nicolas Sarkozy, vai defender um referendo para que a população decida se é contra ou a favor do casamento homossexual. A Câmara dos Deputados já se prepara para uma batalha de emendas ao projeto tanto no governo quanto na oposição.

Já o governo socialista defende que o projeto de lei seja submetido apenas à apreciação dos parlamentares. A ministra da Justiça, Christiane Taubira, abrirá os debates defendendo que a República francesa não deve discriminar seus cidadãos e que todos devem ter os mesmos direitos.

Mas uma das questões mais polêmicas é justamente a abertura do direito de adoção de crianças por casais do mesmo sexo caso a lei seja aprovada. Para os opositores, uma família só pode ser formada por casais de sexo diferente.

O discurso conservador foi o motor da grande passeata contra o casamento gay que aconteceu em Paris no começo deste mês e também motiva algumas faixas e cartazes que podem ser vistos hoje na capital francesa com os dizeres :"Todos nós nascemos de um homem e uma mulher". Um grupo de católicos integristas representados pelo Instituto Civitas promete fazer hoje à noite uma vigília com orações na frente da Assembleia. Em um comunicado, a instituição afirma que a oração é a arma mais poderosa contra o projeto de lei "contra a natureza".

No domingo, uma passeata de apoio ao casamento gay reuniu entre 125 mil e 400 mil pessoas. Hoje na França, os casais gays podem se unir civilmente, mas essa união não dá os mesmos direitos que um casamento civil. 
Fonte: Rfi

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.