Michael Douglas e Matt Damon caracterizados como Liberace e Scott Thorson. Fotografia de Norman Jean Roy
Será que existe um filme tão gay aos padrões hollywoodianos a ponto de seu diretor o escalar para outro projeto que não o cinema? Segundo o diretor Steven Soderbergh, sim.

Logo após o sucesso de "Brokeback Mountain", o diretor começou a bater nas portas de estúdios pedindo cinco milhões de dólares para o então novo projeto: o filme “Behind the Candelabro”, mas recebeu as portas  na cara. Foi produzido pelo cable channel HBO.

O filme é sobre o pianista e showman Liberace e tem como protagonistas os atores Michael Douglas, como Liberace, e Matt Damon, como Scott Thorson.  O  enredo é  baseado no  livro homônimo, escrito  por  Scott Thorson,  motorista  e amante  do músico

O autor conheceu Liberace aos 17 anos e viveram juntos por cinco, participando de shows do pianista em  Las Vegas. A relação acabou porque [dizem] Liberace era muito promíscuo e Scott abusava das drogas. Scott processou Liberace por 113 milhões de dólares, mas, anos depois, tudo se resolveu por 95 mil. O livro teria sido escrito a pedido de Liberace e lançado um ano após sua morte.

Liberace e Soctt Thorson, em 1982.
O  músico faleceu aos 67 anos, final da década de 1980, mas é considerado até hoje um dos maiores nomes da música clássica norte-americana. Ele se tornou mais conhecido graças as apresentações performáticas. Segundo os críticos, eram uma mistura de Chopin e os irmãos Marx. 

Liberace começou ascender a popularidade na década de 40 em NY. Somente na década de 50, já morando na Califórnia, se tornou celebridade com seus concertos particulares para estrelas hollywoodianas, dentre as quais Shirley Temple e Clark Gable

Quando se tornou atração em Las Vegas, em 1955, o músico conseguia atrair multidões e ganhava a bagatela de 50 mil dólares por semana! Foi nesta época que começou a usar o candelabro com que se apresentava. Ele cada vez mais ousava nas indumentárias 'over the top'. Liberace foi o Elton John e a Lady Gaga de seu tempo - juntos.

Ele sempre negou sua homossexualidade. Em 1956, o jornal inglês "Daily Mirror" publicou um artigo falando sobre isso. O showman depois escreveu um bilhete ao jornalista: “Após ler o seu artigo, chorei muito até o banco”. Ele processou o jornal, ganhou a causa e foi indenizado em 8 mil libras - coisa de 22 mil dólares na época.

Wladziu Valentino Liberace faleceu em 04 de fevereiro de 1987 devido a complicações da AIDS, mas tudo foi mantido em sigilo. Seu médico particular inclusive atestou pneumonia como a causa da morte.

Em novembro de 1986, o pianista fez seu último concerto no "Radio City Music Hall" terminando a série de dezoito concertos (em 21 dias) que resultou num aumento de 2.5 milhões de dólares na sua conta bancária.

O filme está com estreia prevista para março na HBO, um més após outro projeto de Soderbergh: “Side Effects”, com Rooney Mara e Channing Tatum estrelando nos cinemas.

O vídeo a seguir mostra toda a extravagância do Sir Liberace no seu auge, a triunfante entrada do show no Hilton Hotel. Tudo televisionado - Scott aparece como o motorista que o encaminha de carro até o palco.


_____________________________________________
Silvio Frazão
Sobre o autor:
Jornalista, 40, carioca de nascimento e californiano por opção. Aquariano que sonha com o com o Hugh Jackman, mas também com a felicidade de todos, independentemente de sexo ou religião. Funpage: facebook.com/silvio.f.costa

Um comentário:

  1. gente, o que é ser mto gay? eles acham que a história de alguém mto gay não venderia é isso? esse povo tá muito enganado, ou sou eu que estou: Milk não fez sucesso?

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.