O Ministério da Defesa russo recomenda recrutadores do Exército do país a examinarem as tatuagens de novos soldados para verificar "vestígios de homossexualidade", segundo documento obtido pelo jornal The Moscow Times.

Além de expor as tatuagens, os aspirantes ao serviço militar devem contar detalhes de experiências sexuais no decorrer da vida: se possuem ou não namorada e se consideram fidelidade importante em um relacionamento. O questionário tem o intuito de determinar a "saúde mental" do entrevistado e também inclui perguntas sobre religião, alcoolismo e tendência ao suicídio.

Igor Kochetkov, representante da comunidade LGBT russa, disse ao jornal que tatuagens indicando homosseuxalidade são comuns apenas em prisões do país, onde detentos são forçados a se tatuarem para se tornarem "homossexuais passivos", que podem ser estuprados por companheiros de cela.

"As imagens mais comuns são de uma mulher de costas entrelaçada com uma serpente ou dois olhos sobre um pênis formando uma face. É uma forma de degradar um detento", explica Damon Murray, co-editor de um livro que investiga o sistema criminal russo.

Um oficial de um batalhão do sul da Rússia, que não quis se identificar, comentou as orientações: "não me sinto apto a ter esse tipo de conversa com um novo recruta. Ainda assim, os comandantes seguem as instruções. O que eles fazem, examinam as genitais dos soldados e suas tatuagens? E como vão perguntar a alguém sobre experiências sexuais?", questionou.

O oficial vê ao menos uma utilidade para a medida. "Já tivemos um homossexual em nosso batalhão que revelou ter entrado para o exército para procurar namorados. Para pessoas assim, não há lugar no Exército", declarou.


____________________________________________

Quantos soldados heterossexuais procuram as forças armadas por motivos alheios aos objetivos das instituições? Sem dom ou vocação, eles querem apenas um meio de sustento. Outros entram simplesmente para adquirir músculos proporcionados pelo rigoroso treinamento físico da corporação e a abandonam após um ano (no máximo).

Só falta o Exército russo proceder ao exame proctológico (inspeção da região anal) nos aspirantes ao serviço militar!


Um comentário:

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.