Vítima foi morta a facadas e teve pés e mãos amarrados com cinto de segurança (Foto: Reprodução/TVCA)


Não são comuns aqui no Identidade G postagens sobre violências ou mortes de gays, contudo uma matéria publicada ontem, 09/03/2012, no portal G1, é mais do que sensacionalista porque, além de chocante, ela aponta para a triste realidade de gays ou bissexuais homofóbicos. Neste caso, o resultado atinge a pior prática que um homofóbico pode alcançar com seu ódio desenfreado: morte precedida de violência covarde e cruel.
Um jovem de 23 anos foi preso em Cuiabá-MT após ter feito sexo e assassinado um homem homossexual de 37 anos. Walfrido Franklin, delegado responsável pelo caso e pela prisão, declarou que o assassino possivelmente é homossexual e homofóbico porque não foi a primeira vez que fez sexo, agrediu violentamente e matou suas vítimas, todas gays. 
O criminoso em seu depoimento teria confessado que "mantém relação sexual com todas as vítimas. E por elas serem homossexuais também, facilitaria a ação criminosa por conseguir se aproximar delas mais facilmente e controla-las”. 
A vítima levou três facadas e foi encontrada com os pés e as mãos amarrados com um cinto de segurança. A arma do crime, uma faca, também estava no local. O tênis que o homem usava quando foi assassinado havia sido vendido em um ponto de venda de drogas. Walfrido disse ainda que o suspeito roubou o veículo da vítima e relatou que obteve ajuda de um comparsa para cometer o assassinato.
Como se não bastasse, conforme o delegado afirmou, o jovem teria revelado ainda que já estava “flertando” com aquela que seria a sua próxima vítima. O detalhe é que o suspeito fez questão de declarar que está “aprimorando os assassinatos com mais requintes de crueldade porque as próximas vítimas seriam mutiladas, queimadas e enterradas, com intuito de dificultar o trabalho da polícia na localização do corpo".
Ainda dizem por aí que homofobia não mata ou que no Brasil não se agride nem se mata somente pelo fato de a vítima ser gay. O Brasil é mesmo um país espirituoso, né não?

4 comentários:

  1. "Walfrido Franklin, delegado responsável pelo caso e pela prisão, declarou que o assassino possivelmente é homossexual e homofóbico porque não foi a primeira vez que fez sexo, agrediu violentamente e matou suas vítimas, todas gays. "...

    Olha o absurdo da coisa. Não é a primeira vez e ta fazendo o que solto?????
    Louco, homofóbico, assassino e livre e leve, tramando os próximos com requinte e crueldade....

    E a declaração dos fatos saiu da boca de um "delegado de policia???"

    Pode isso???

    ResponderExcluir
  2. Margot, eu entendi que o delegado tomou conhecimento do caso após a investigação deste caso específico e da prisão do criminoso que acabou confessando todos os assassinatos. Até então, possivelmente, os crimes anteriores ainda não haviam sido desvendados pela polícia.
    Antes tarde do que nunca e sorte da pretensa terceira vítima que se livrou de um horror.
    Obrigado e beijão pra vc.

    ResponderExcluir
  3. Um alerta para aqueles que curtem ficar com qualquer um que acham na rua...

    ResponderExcluir
  4. Cade a foto do cidadão

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.