O novo presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, deputado Marco Feliciano (PSC-SP), numa tumultuada e confusa primeira sessão da Comissão sob o seu comando [por deputados contrários a sua eleição], pediu desculpas públicas por declarações que possam ter ofendido os homossexuais e os negros: “Neste momento importante para a nação brasileira, nesta douta comissão, peço a todos e a todas que se sentiram ofendidos por alguma colocação minha, em qualquer época, peço as mais humildes desculpas, e coloco meu gabinete à disposição”.

Feliciano garante que trabalhará de forma “propositiva e transparente” e pediu um voto de confiança: "Estou exercendo o meu mandato, que me dá direito de assumir a presidência desta comissão”, ressaltou sob protestos de manifestantes defensores dos direitos dos homossexuais e dos negros.

Pouco antes, o deputado escreveu em seu Twitter que desistiu de 'processar' Xuxa pelos comentários que a apresentadora fez no Facebook: "...esse homem não é um religioso, é um monstro. Em nome de DEUS ele não pode ter poder". A mensagem de Xuxa se alastrou feito pólvora nas redes sociais.

Depois de muito alarde; de dizer que ia fazer e acontecer em cima da loira ["...sobre o que disse Xuxa, minha assessoria jurídica prepara o processo. Durmam em paz"], ele voltou ao Twitter para postar na noite desta terça (12): "Ao assunto da senhora Xuxa Meneghel (...), não moverei nenhuma ação contra ela".

3 comentários:

  1. Acredite se quiser, esse cara não vale nada.
    Bjux

    ResponderExcluir
  2. Sinceramente não sei porque as declarações da xuxa estão fazendo tanto alvoroço. Elas vieram muito depois de milhares de outras declarações e manifestações em contrario ao dito cujo.
    Ela como ele pra mim, tem passagem de graça.... para o mais longe possível.

    Abraço Junior

    ResponderExcluir
  3. mexe com ela, queria ver, magina, voltou atrás neh, risos.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.