Quando acontece algo inesperado a gente aproveita pra repensar a vida. Aconteceu com a trajetória do blog: um problema com o provedor gerou uma semana sem internet. Tudo foi resolvido, porém o ritmo desacelerou. E o pique pra continuar? Sumiu.
Nunca o blog ficou tanto tempo sem notícias, por outro lado, com tantos posts publicados, o que não falta é texto para ler ou reler, não é?
Vamos em frente, o show deve continuar! 
É complicado continuar sabendo que o deputado Marco Feliciano (na foto, maquiado e com o cabelo alisado) está no comando da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados ("CDHM"). Só no Brasil mesmo!
Muitas notícias relacionadas ao universo LGBT rolaram nesse período sem o Identidade G. A mais chocante sem dúvida foi esta mesmo: um pastor evangélico, declaradamente homofóbico e racista, se elege presidente de uma comissão cujo principal objetivo é contribuir para a afirmação dos direitos humanos e que tem, entre outras, a meta de zelar por assuntos referentes às minorias étnicas e sociais.
Está escrito na página do site da Câmara dos Deputados (aqui) que a CDHM "parte do princípio de que toda a pessoa humana possui direitos básicos e inalienáveis que devem ser protegidos pelos Estados e por toda a comunidade internacional. Tais direitos estão inscritos em textos e diplomas importantes de direitos humanos, que foram construídos através dos tempos, como são, no âmbito da ONU, a Declaração Universal dos Direitos  Humanos (1948) e, no âmbito da OEA, a Declaração Americana de Direitos Humanos (1948). O Brasil é signatário desses e de outros instrumentos internacionais, o que significa que assumiu compromissos com os direitos humanos perante a Humanidade e diante de seu povo."
O que tudo isso tem a ver com as ideias, revelações, perfil e personalidade do pastor-deputado Marco Feliciano? 
Como se não bastasse, o cara é réu em dois processos no STF, um por homofobia (denunciado pelo procurador-geral da república - aqui)  e outro por estelionato (como pastor evangélico, ele pede as senhas dos cartões de crédito de seus fieis - aqui) e, ainda assim, recebe 11 votos (dos 18 parlamentares, membros do colegiado) para se tornar o mentor das causas das minorias no Congresso??? Guardadas as devidas proporções, seria como dar o Nobel da paz para Saddam Hussein (in memoriam).
Teríamos muito pano pra manga pra desenvolver o assunto, mas como tudo no Brasil acaba em pizza, em samba, em futebol ou em brincadeiras de parlamentares, vamos rir de mais uma piada. Afinal, sorrir é sempre melhor que chorar e o 'show must go on'.

4 comentários:

  1. Ju... graças a Cher que ouviu minhas preces para o idg nao sumir... Sobre o Marco Feliciano eu prefiro ficar quieto... é absurdo demais junto nesse país que da pena de gastar a inteligência. Bjão querido e nem pense em sumir de novo. :)

    ResponderExcluir
  2. Junior que bom que voltou. Estava com saudade.
    Bejão

    ResponderExcluir
  3. Oi menino
    O que mais me empressiona é a nossa passividade, ficar frente teclado protestando não resolve nada temos que ir para as ruas, só assim demonstraremos nossa indignação.
    Bjux

    ResponderExcluir
  4. Estranhei seu sumiço, e quanto ao MF, realmente o que dizr? Este ano está cheio de surpresas.Acho que o povo deve manter os protestos.

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.