Já que estamos naquele clima de indignação com o atual comando da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, resolvi fazer um jogo e analisar se devemos nos preocupar com o novo presidente Marco Feliciano. Quem ele é, segundo as cartas? O jogo foi analisado por outros tarólogos depois de postado numa comunidade de tarô onde cada um contribui com a sua visão. Depois, se permitirem, eu postarei a visão deles acerca do tema.

Vamos ao jogo.

Método do caráter
Autor: Giancarlo K Schimit

Qual a intenção do polêmico chefe atual da Comissão de Direitos Humanos e Minorias - CDH, deputado e pastor Marco Feliciano, ao lutar pela presidência dessa Comissão que, de modo geral, parece não combinar com seu modo de agir e de pensar?

Casa 1
PERSONA
O que a pessoa demonstra externamente. Que perfil aparenta.
3 DE COPAS
A aparência é de uma pessoa carismática, alegre, que busca compartilhar coisas boas com as pessoas; que acredita na boa convivência social e afetiva; que valoriza os laços de amizade e família. Enfim, ele mostra que quer estar de bem com todas as pessoas em sua volta. Como chefe, se mostra disposto a fazer o bem, a trazer alegria e satisfação à sociedade.

Casa 2
PERSONALIDADE
Como a pessoa é na sua essência. Quais características marcantes e quais não estão visíveis.
9 DE OUROS
No fundo, ele almeja ganhar reconhecimento ao chefiar essa Comissão. Parece que a sua meta é ganhar mais notoriedade como deputado e como pastor. Age com prudência, confiança e segurança. É um cara que usa a experiência para vencer os novos desafios. Feliciano é determinado e pretende colher frutos desta nova posição de destaque.

Casa 3
:MOTIVAÇÕES
O que leva a pessoa a se comportar ou agir de uma determinada maneira.
DOIS DE COPAS
Ele age como se mostra: comunicativo e carismático (Casa 1). Almeja o apoio da população porque deseja atrair parceiros para atingir seu objetivo pessoal que se confunde com o profissional. Ele quer sempre crescer e ter reconhecimento. Busca apoio e união até da oposição.

Casa 4
INTENÇÕES
O que realmente a pessoa busca nesta situação específica.
A PAPISA
Arcano maior do jogo. Logo o arcano que não se revela! Há algo obscuro por trás do interesse de assumir esse cargo. O que ele deseja de fato está oculto. Como já temos um histórico que pesa contra ele, a Papisa cheira a cilada para a sociedade.

Perguntei ao tarô: o que me dizem? A Papisa mostra que a intenção de Marco Feliciano, ao assumir esta comissão, é boa ou má?
Resposta
O EREMITA
Uma carta de prudência, isolamento, estudo, crescimento interior. A ideia dele é de fato alcançar novos degraus e de se tornar uma pessoa mais experiente para atuar em posições mais nobres. Prudente, de grão em grão, ele almeja algo bem maior.
O que nós, população LGBT, podemos esperar de Marco Feliciano no tocante ao combate do preconceito ou da discriminação frente à CDH?
Eita Ferro! O DIABO foi a resposta para a pergunta. Pelo visto, a coisa vai ficar feia. Ele tentará seduzir com promessas de apoio, mas, no final, nos pegará pelo rabo.
___________________________________________________
Leia mais na coluna "Tarô no Universo LGBT".
Flavio Augusto
Sobre o autor:
Também conhecido como Augusto Crowley, tem 34 anos, é tarólogo e blogueiro (senhordavidatarot.blogspot.com.br). Mora em Florianópolis (fun page: facebook.com/flavio.cardoso).

Um comentário:

  1. Um dos tarologos ao analisar este jogo, ressaltou algo da personalidade de Feliciano que pude constatar em reportagens de tv. O eremita é uma pessoa também de convicção pessoal, ou seja, ele crê que suas idéias realmente são corretas. Ele não percebe que elas se tornam incoerentes com um Órgão como a CDH.E e além disso, temos no 9 de ouros, a carta da vaidade, realmente algo notório, afinal, ele faz sobrancelhas, escovas, enfim, super vaidoso. E será que renuncia?

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.