Estados Unidos X Windsor

Edith (centro) é responsável por uma das ações judiciais que tramitam na Suprema Corte dos EUA a respeito do casamento gay. 



Edith Windsor, 83 anos, se casou com Thea Spyder em 2007 com quem vivia há mais de 40 anos. O matrimônio foi oficializado no Canadá, mesmo as duas morando em Nova York onde o casamento gay é reconhecido - o estado de NY reconhece, mas o país não, muito menos se firmado em outro país.

Após a morte de Thea, há dois anos, Edith deparou-se a uma obrigação pecuniária ilógica e capciosa no espólio: 360 mil dólares de impostos federais pela transferência de titularidade das posses de Thea. Ocorre que se o casamento das duas fosse reconhecido nos EUA não seria preciso pagá-los.

Na última quinta-feira, 27 de março, Edith esteve na Suprema Corte em Washington para a audiência de sua ação. Ela foi ovacionada diante dos manifestantes que marcavam presença em frente a Corte. E comemorou:
Acho que tudo ocorreu lindamente. Achei que os juízes foram muito gentis... não senti nenhuma hostilidade e em nenhum momento me senti inferior. Hoje é um evento espetacular para mim. E sei que o espírito de minha esposa Thea Spyer está aqui mesmo assistindo e escutando, e que ela ficaria muito orgulhosa de onde chegamos.
Vamos combinar que é um acinte à pessoa gay ser obrigada a pagar impostos federais em espólio do parceiro num país onde as leis federais NÃO reconhecem o casamento gay. Ou seja, sou obrigado a pagar, mas não tenho direitos reconhecidos pela federação? Que droga de lei é essa? Sabemos que o ônus tem relação com a transferência das posses e não com o casamento, mas as mulheres eram casadas, caramba!  

Juízes da instância mais alta dos EUA estão num impasse histórico porque precisam proferir, de maneira uniforme, sentenças de processos diferentes, mas de mesma origem: casamento gay. Estão sujeitos a mudar e fazer parte da história daquele país, quiçá do mundo, ou simplesmente serem dragados pelo conservadorismo.

#Confira também:" Entre capas e beijos! Dois casais gays estampam a revista 'Time' "

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.