Um homem desempregado disputava uma vaga de faxineiro na Microsoft. Durante a entrevista, o gerente de recursos humanos pede para que ele varra o chão e lhe diz: 
- Parabéns, o serviço é seu. Me dê seu e-mail para que eu envie a ficha de inscrição, a data e a hora em que você deverá se apresentar ao serviço.
Desesperado, o homem respondeu que sequer usara um computador antes e portanto não possuía um e-mail. O gerente de RH lamentou e disse que ele não poderia trabalhar na Microsoft sem um e-mail, pois virtualmente não existia para o mundo. O aconselhou então a providenciar urgente.
O homem saiu alucinado sem saber o que fazer somente 10 dólares no bolso. Não entendia de computador e nem sabia por onde começar. Parou e pensou na família que precisava muito e ele não podia voltar pra casa com aquela quantia de dinheiro. Decidiu passar no supermercado e comprou uma caixa com 10 quilos de tomates. De porta em porta, vendeu os tomates a quilo. Menos de duas horas depois havia duplicado o capital investido.
Decidiu repetir a operação e assim fez mais duas vezes. Voltou para casa com 60 dólares.
Após refletir em casa, o homem concluiu que poderia sobreviver daquela forma. Saía de casa cedo e cada vez retornava mais tarde. Sempre vendendo produtos de porta em porta.
Pouco tempo depois comprou uma combi.
Após progredir mais, trocou a combi por um caminhão. Depois investiu numa pequena frota de veículos para distribuição. Cinco anos se passaram e o homem se tornou dono de uma das maiores distribuidoras de alimentos dos Estados Unidos.
Preocupado com o futuro da família, o empresário decidiu fazer um seguro de vida. Chamou um corretor e acertou um plano justo. Ao final da negociação, o corretor pediu o endereço de e-mail para enviar-lhe a proposta.
- Eu não tenho e-mail. [respondeu o homem]
- Que curioso [se surpreendeu o corretor]. Se você não tem e-mail e chegou a construir esse império, imagine o que você seria se tivesse um e-mail!
- Eu seria faxineiro da Microsoft [ponderou o homem]
_____________________________
Bom dia!
O texto acima é de autor desconhecido e foi encontrado na internet. É uma homenagem aos empregados domésticos que hoje comemoram seu dia.. Você deve ter percebido que ele prestigia mais o empreendedorismo, mas quem ralou como esse homem, vendendo tomates de porta em porta, não deixou de prestar um serviço doméstico, né não?

O dia é oportuno, pois a profissão está mais valorizada. Após a "PEC das Domésticas", apelido que puseram na Emenda Constitucional aprovada no início deste mês, o ramo se equipara aos demais setores da economia. 

Quer apostar e não tardará para ser criada a faculdade para diplomar empregados domésticos? Talvez o nome da profissão sofra uma repaginada, ganhe ar sofisticado e moderno. Lembra quando 'Chef de Cuisine'  nada mais era do que cozinheira -- no feminino mesmo porque só as mulheres "cozinhavam para fora".

Para finalizar, seria interessante mudar o nome "Dia das Empregadas Domésticas". Na categoria, sempre estiveram inseridos motoristas, jardineiros, caseiros, etc. Sem falar que cada vez mais eles se aventuram no território do 'lava, passo e cozinho'. Por falar nisso, você contrataria um diarista/empregado doméstico para cuidar de você do seu lar?
Com um desse apresentado pela Vanish no vídeo abaixo, eu também diria: mi casa, su casa, baby.

3 comentários:

  1. Um texto encorajador e nos faz pensar.
    As ajudantes do lar sao tudo de bom.
    Parabens a elas.
    Abracos

    ResponderExcluir
  2. Aiai...to aki pensando em algumas bobagens , hehehehe!

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.