Como dar a volta por cima numa industria que valoriza somente a juventude
[Por Silvio Frazão]


Robert Downey Jr., 48 anos recém-completados, é um dos melhores e mais premiados atores da sua geração. Adorado pelo publico e pelos colegas, atravessou um longo e arriscado passado que poucos artistas conseguiriam superar. A década de 1990 foi atribulada na vida do ator que praticamente passou mais tempo em tribunais e prisões do que em estúdios de cinema ou de televisão. Mas ele não se abalou e focou no futuro.

No próximo mês, Downey Jr. estará nas telonas no papel de Tony Stark, em Iron Man 3. Além disso, o ator é capa da "GQ Magazine" de maio e é lá que dá uma grande entrevista na qual fala de carreira, demônios, casamento com a produtora Susan Downey (quando as coisas começaram a melhorar) e filhos.

Carreira, drogas e armas
Passado ele tem muito. Não há como esquecer seus grandes momentos no cinema em papeis heterossexuais ou gays. A lista é grande desde que estreou com seu pai, Robert Downey, aos cinco anos de idade. Entre outras dezenas de filmes, podemos lembrar de Less Than Zero (Abaixo de Zero), Weird Science (Mulher Nota 1000), Pretty In Pink, Chaplin (indicado ao Oscar) e um dos meus favoritos: Only You (Somente Você). 

O envolvimento com drogas e armas realmente colocou a carreira de ator (ele também é músico) numa situação complicada e os estúdios lhe fecharam as portas. Naquela problemática década de 90, apenas um ano após estrear e de ter sido premiado na então famosa série de TV Ally McBeal (Ally McBeal: Minha Vida de Solteira), na qual fez par romântico com Calista Flockhart, foi demitido por causa das prisões e exposição negativa na mídia.

Ao completar 40 anos, o ator ainda acreditava no brilho de sua estrela, apesar de, ao mesmo tempo, cogitar trabalhos em televisão ou se contentar com personagens coadjuvantes. Estava quase desistindo quando ouviu falar de Iron Man. 

Recusado em Iron Man I
Na ocasião, a Marvel Comics não conseguia emplacar suas produções nas telonas: The Hulk (Erik Bana), Electra (Jennifer Garner), Daredevil (Ben Affleck), porém Downey Jr. achou que não custava tentar. 

O ator talvez não esperava o sonoro 'não' que recebeu tanto da companhia quanto do diretor Jon Favreau. Não se sabe como nem porquê, o fato é que ele se preparou para o papel durante três semanas -- preparação que não revelada --, entrou no estúdio e foi contratado.

Após o grande resultado de Iron Man I internacionalmente, veio o sucesso com Sherlock Holmes, Trovão Tropical, The Avengers. No momento, o ator se prepara para a avalanche de entrevistas que seguem este mês com o lançamento mundial de Iron Man 3 na primeira semana de maio. Enquanto isso, ele termina a produção de Pinóquio, uma versão mais adulta do fantástico Guillermo Del Toro -- na pele de Gepeto.

Sexualidade
Há quem jure que Downey Jr. é gay pelo seu desempenho em "Abaixo de Zero", pela relação homoerótica havida entre Sherlock e Watson ou pelo gay role em "Home for the Holidays". Sobre isso é o próprio quem fala: 
Meus amigos pensam que eu sou bissexual excêntrico. Isso é OK. Ser relaxado com sua sexualidade é algo que você nasce com. Ela [minha bissexualidade] foi fabricada. Eu não tinha identidade e brincava com meu jeito de expressar. Cresci no mundo do "Horror Picture Show Rocky" onde até mesmo meus amigos machos convictos se tornavam andróginos nas noites de sábado.

Silvio Frazão
Sobre o autor:
Jornalista, 40, carioca de nascimento e californiano por opção. Aquariano que sonha com o com o Hugh Jackman, mas também com a felicidade de todos, independentemente de sexo ou religião. Fan page: facebook.com/silvio.f.costa

Um comentário:

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.