Grupos de torcedores do Atlético Mineiro e do Cruzeiro fundaram as comunidades "Galo Queer" e a "Cruzeiro / Anti-homofobia", respectivamente, no Facebook com o objetivo de combater o preconceito no futebol.

Atlético Mineiro

A "Galo Queer" foi a primeira. Criada na última terça-feira (09/04), em dois dias já contabiliza mais de três mil 'curtidas' de usuários da rede social. A descrição com a qual o usuário se depara logo na capa da página é autoexplicativa:

“Galo Queer é o movimento anti-homofobia e anti-sexismo no futebol dos torcedores do Atlético Mineiro, vulgo Galo Doido. Porque paixão pelo Galo não tem nada a ver com intolerância.”


Cruzeiro

Nesta quinta-feira (11/04) foi lançada a "Cruzeiro / Anti-homofobia" já disponível aos usuários. Até o momento com 830 'curtidas', o grupo de torcedores explica que “Futebol é diversidade e não um ambiente hostil que incita violência e preconceito!” e se propõe a debater os preconceitos de gênero e articular politicamente os torcedores da Raposa: “Não é preciso ser gay para apoiar o combate à homofobia”, afirmam os responsáveis pela fan page.

Ameaças

Mas não é à toa que a coragem é um sentimento difícil de ser encontrado. Apesar do apoio de uns, os fundadores já começaram a sofrer típicas ameaças dos poltrões contrários ao movimento.

Numa entrevista por telefone com o pessoal do portal Bhaz -- site de notícias de BH que serviu de fonte para esta postagem --, o criador da "Galo Queer" pediu para não ser identificado por causa das advertências maléficas vindas de torcedores que não gostaram de ver seu time associado a gays. Justamente as pessoas que fomentam o preconceito e para as quais o movimento mais se destina.

Comentários

Salvo engano, a imagem  do escudo do Atlético pintado com as cores do arco-íris, um dos símbolos mais emblemáticos da luta dos gays contra o preconceito (acima), estava na página inicial da "Galo Queer", ao lado da imagem da capa. Entretanto, pode ter sido alterada por aquela que aparece no início desta postagem:  o escudo todo na cor preta com as cores ao fundo.

Possivelmente isso se deve às críticas recebidas. Uma internauta já havia se rebelado contra a foto anterior: “Eu nem sei o que dizer! Se eu xingo, se eu denuncio a página e faço campanha no Facebook para todos fazerem o mesmo!"

Enquanto isso, comentários de simpatizantes demonstram a polidez daqueles que têm confiança de sua orientação sexual, mas principalmente de pessoas de bom-senso e conscientes de que respeito ao próximo é um dos pilares da civilidade: “Atleticanos são atleticanos, independentemente da orientação sexual!”, se impõe um seguidor da página.

7 comentários:

  1. Deviam se orgulhar. Intolerancia nao precisa de torcedor. Como atleticana, apoio a campanha e curto a pagina.

    ResponderExcluir
  2. eu achei um gesto lindo. vale a pena divulgar mesmo.

    ResponderExcluir
  3. HAhahhahaha... Sá falta os gayviões...

    ResponderExcluir
  4. kkkk isso é a cara do flamengo

    ResponderExcluir
  5. Fácil. Chamem o Vampeta pra falar as mesmas merdas que ele tem dito aos adversários (tal como o São Paulo) e pronto.

    ResponderExcluir
  6. Ironia vindo de duas torcidas que se insultam chamando-se de Marias e Rosanas!!!

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.