A figura do homossexual de algumas décadas atrás era um pouco diferente dos dias atuais. Gays ficavam à vontade em guetos. Em sociedade, viviam desacompanhados de amigos e namorados. Estes, por sua vez, levavam vidas paralelas. Encontros inesperados, não raro, eram regidos por constrangimentos.

A imagem daquele gay, perante à maioria dos heterossexuais que sabiam ou desconfiavam dele, era a de alguém solitário, rejeitado, fossem colegas de trabalho, da faculdade, conhecidos da academia ou mesmo parentes e familiares: Coitado! Também, quem mandou "escolher" essa vida?

Quando eu estava com 19 anos de idade e tentava ser heterossexual a qualquer custo, escutei o seguinte de uma namorada --  ao opinar sobre um cara gay assumido: Ele não deve conseguir homem pra transar com ele, né? Se é tabu para a mulher, imagine para o viado! Tenho pena, coitado.

Gays assumidos de então incomodavam porque geravam climas embaraçosos. Para reverter isso, se mostravam mais engraçados e inteligentes. Situação parecida com a dos gordos. Todo mundo conhece a fama dos gordos, principalmente na fase escolar, que se esforçam na alegria e na diversão para se popularizarem. Se a pessoa for gorda e gay então, deve ser um híbrido de Jô Soares e Claudia Jimenez.  
Mas isso é coisa do passado. Os heterossexuais que se incomodam com os gays que hoje em dia andam de mãos dadas e vão a almoços de família ou do trabalho acompanhados de namorados, são, grande maioria, evangélicos e/ou neopentecostais. 

Antigamente, religiosos fundamentalistas não precisavam berrar aos quatro cantos que homossexualidade era coisa de demônio porque a própria postura dos gays de outrora era ridícula perante à sociedade. Aquele isolamento, o pesar dos enrustidos que não conseguiam disfarçar trejeitos, já eram o bastante para provar que Deus não estava com eles.

A dificuldade desses caras é aceitar que a alegria dos gays (desculpe a redundância) agora é legitima, é legal! E não se adéqua à justiça terrena apenas, mas à divina também. Se a máxima de que gays eram solitários e rejeitados por que eram castigados se aplicava antes, então, certamente, Deus mudou Seus planos. Ele agora recompensa os gays pelos anos de padecimento.

2 comentários:

  1. Conheci bem esse isolamento social e essa vida dupla de negação de identidade, pois vivi a minha infância e juventude, logo a formação da minha personalidade, num mundo em que ser diferente era sinónimo de vexame. Felizmente não era uma sociedade obcecadamente religiosa, como aquela em que hoje vivo, pelo que o homossexual era apenas ridicularizado e ostracizado, não era perseguido como uma presa de caça e excomungado pela demência da religião.
    A violência sobre os LGBT é proporcional à suposta ameaça que crentes ignorantes ou mal-intencionados julgam sentir.
    Vitória após vitória vamos construindo um mundo melhor, não só para nós gays mas para todos.

    ResponderExcluir
  2. o tempo mudou, ainda bem.
    mas ainda falta muito. mas definitivamente, quanto mais os gays se assumirem, mais teremos visibilidade, mais teremos espaço!

    beijos

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.