Nada melhor para um cantor do que uma boa polêmica para incrementar o lançamento de uma música, álbum ou vídeo. O músico inglês David Bowie conseguiu reunir os três produtos numa polêmica só desde que, na última quarta-feira (08/05), publicou o vídeo da música 'The Next Day', do álbum homônimo lançado em março.

O vídeo começa com um padre (Gary Oldman) batendo em um pedinte. Acompanhado de uma mulher sensualmente trajada, ele entra numa espécie de bordel onde outras mulheres estão seminuas -- uma delas é a atriz Marion Cotillard. Lá dentro, encontra-se um cardeal enchendo a cara e um homem se autoflagelando. Enquanto isso, Bowie canta em um palco com sua banda vestido de profeta. 

A Liga Católica dos EUA não gostou e, após chamar o músico de 'idoso bissexual', estrebuchou: "É repleto de excessos, uma bagunça, assim como o artista. Bowie está confuso sobre a religião", afirmou  o líder da Liga Católica, Bill Donohue.

Como se não bastasse, o YouTube fez outra confusão. Ao receber críticas dos usuários, acabou deletando o vídeo horas após a publicação. Nesta quinta-feira, o site trouxe de volta o vídeo, mas com restrições de idade. Um porta-voz se manifestou sobre o ocorrido: "Com o enorme volume de vídeos no nosso site, às vezes fazemos a decisão errada" [à revista americana Billboard].

Cá entre nós, qual das duas entidades -- sim, o cantor é uma entidade -- é realmente bagunça? Se levarmos em conta a baderna de pedofilia que abala as estruturas da instituição e que vem gerando perda de credibilidade entre os fieis, a Liga Católica sai perdendo. 

Segue o vídeo de "The Next Day". Abaixo dele, outro vídeo com o jornalista e crítico musical, Sérgio Martins, explicando aos mais jovens a importância e brilhantismo da carreira de David Bowie [extraído do site da revista Veja]





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.