Foto: Jason Agron Photography / Divulgação
No último dia 30, presidente e vice-presidente do Facebook, Mark Zuckerberg e Chris Box, respectivamente, e mais de 700 funcionários da companhia participaram da Parada do Orgulho Gay de São Francisco, Califórnia.

Foto: Jason Agron Photography / Divulgação
Não é a primeira vez que funcionários da companhia se organizam para homenagear marchas gays, mas foi a estreia do CEO da empresa. Este ano, além de camisetas coloridas, a sede da companhia, em Menlo Park, Califórnia, foi decorada com as cores do movimento LGBT.


Também em junho último, funcionários do Google deram pinta na 17ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo.

Xará do vilão gay de "Amor à Vida", Felix Ximenes, 49, que não é gay, disse que foi tão legal que nem percebeu o tempo passar: "Foi mais rápido do que eu esperava". Ele se considera um dos "gayglers", funcionários do Google que organizaram o desfile do trio, que contou com a discotecagem de Johnny Luxo.


Mesmo com alguns percalços, o trio da empresa conseguiu completar o trajeto da avenida Paulista e da rua da Consolação no tempo esperado. O Google também homenageou o evento tingindo a barra de pesquisa com as cores do arco-íris. A homenagem foi vista apenas por quem digitou palavras ou termos LGBT ("gay", "transsexual", "lesbian", "transgender", etc).

Confira abaixo mais fotos da participação do Facebook na Parada Gay de São Francisco, Califórnia

Mark Zuckerberg, ao lado do jogador da NFL Brendon Ayanbadejo
 (Jason Agron Photography / Divulgação)

vice-presidente de Produtos do Facebook, Chris Cox, e e o diretor de Produtos, Adam Mosseri
 (Monica HC / Divulgação)

Mais de 700 funcionários do Facebook (Jason Agron Photography / Divulgação)
Foto: Monica HC / Divulgação
Foto: Monica HC / Divulgação
Sede da companhia em Menlo Park, na Califórnia, decorada com as cores do movimento LGBT
Foto: Janelle Burdette / Divulgação


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.