Imagine você saindo de uma consulta rotineira quando, ao olhar a prescrição que o médico lhe passou, lê o seguinte: "Comportamento homossexual. Desvio sexual ou distúrbio mental associado ao código 302.0".

Ressalte-se que esse código está em desuso pela psicologia desde 1973 quando a Associação Americana de Psicologia deixou de considerar a homossexualidade um transtorno mental. E nunca é demais lembrar que a Organização Mundial da Saúde (OMS) retirou a homossexualidade da lista de doenças desde 1990.

Mas isso aconteceu em 2013, pleno século XXI. O "doente" é o californiano Matthew Moore (foto), 45 anos, homossexual assumido.

De acordo com o jornal  'Huffington Post', o homem inicialmente achou que fosse uma brincadeira da médica cujo nome não foi ainda divulgado. “No começo, eu meio que ri. Eu pensei: 'Aqui está outra maneira para diminuir os gays e fazer com que se sintam ainda menores do que já são. Então, pensando melhor e como eu lidaria com o fato, ai, sim, fiquei realmente irritado”.

Quando Moore exigiu explicações, a médica afirmou que a homossexualidade ainda é considerada doença. Já a direção do hospital, o "Torrance Memorial", pediu desculpas e devolveu o dinheiro da consulta para Moore, afirmando que o estabelecimento "não vê  a homossexualidade como doença ou condição crônica". 

"Nós compreendemos plenamente a sua frustração e raiva relacionada à sua experiência e estamos empenhados em garantir que tais eventos não se repitam", disse em nota oficial Heidi Assigal, diretor sênior do estabelecimento.





Um comentário:

  1. Pois eu entrava com meu pedido de aposentadoria e ainda processava o hospital! rs

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.