Abdellah no Festival de Veneza - Foto AP - Domenico Stinellis
O escritor e cineasta marroquino Abdellah Taia acredita que "Salvation Army" seja o primeiro filme árabe com um protagonista gay. Rodado na França e em Marrocos, o longa estreou nessa terça-feira (3) na Itália e é baseado em romance homônimo e autobiográfico.

Taia, que vive atualmente em Paris, foi a primeira pessoa a se declarar abertamente homossexual na história do Marrocos, em 2006, onde publicou romances, incluindo "Exército da Salvação", no qual o filme foi baseado. O autor assumiu um risco calculado ao sair de um país onde os gays podem enfrentar prisão.

 "Estou totalmente ciente de como esse assunto é um tabu no mundo árabe", disse Taia em entrevista por telefone de Veneza, onde o filme estreou no Festival de Cinema de Veneza.

Ele disse que seu sucesso literário lhe deu alguma legitimidade para discutir o papel dos gays e lésbicas na sociedade. O filme foi filmado em locações no Marrocos, apesar de algumas tensões. "Voltei ao país para gravar e me deixaram entrar. Se fizessem algo contra mim, seria um risco para eles também".

O filme é baseado na própria vida de Taia que cresceu pobre e gay no Marrocos. O protagonista, Abdellah, é consciente de sua homossexualidade desde cedo e deve negociar a vida em um país onde a sua orientação homossexual não é aceita, mas é praticada. Homens mais velhos batem nele com frequência.

O jovem Abdellah idolatra seu irmão mais velho, o favorito entre os nove filhos de sua família, que recebe um quarto próprio, mesmo quando a mãe divide um quarto com os outros oito irmãos. Somente quando o irmão abandona a família para viver com uma garçonete, Abdellah se liberta e abandona o País.

A segunda parte do filme acontece em Genebra, onde Abdellah é introduzido na Europa e onde o próprio Taia foi para alcançar seu sonho de ser um escritor e cineasta.

"Esse filme talvez ajude alguns árabes a enfrentar a realidade gay e lésbica e ter algum apoio", disse Taia. "Acho que é o momento certo também para que homossexuais árabes que estão livres fora do mundo árabe não se esqueçam de que eles são árabes."

Assista a um trecho do filme.



Fonte: News Yahoo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.