No monólogo "Meus Caros Amigos", exibido ontem (21/09) no festival de teatro Palco Giratório em Porto Velho, personagem reúne amigos (o público) para revelar que é gay

Não sei se você concorda, mas achei bem interessante a criação do ator colombiano Juan González Betancur, 33 anos. Ele é autor, ator e diretor do monólogo ‘Meus caros amigos’. A peça conta a história de um homem que decide convidar os amigos para contar uma parte da vida dele que nunca tinha revelado para ninguém: sua homossexualidade. Casado e sem nome, o homem do monólogo leva uma vida secreta e que, por alguma circustância, ele decide a história dele.

Com 15 de carreira, Juan conta que mora no Brasil - especificamente em Salvador (BA) - há quase dois anos e escolheu o país como moradia, principalmente, por gostar do idioma. 

Ao site G1, o ator diz que sempre espera que a peça receba um número grande de pessoas, mas que o monólogo foi pensado para um espaço íntimo, que não é necessário 'encher o teatro'. "O público do teatro são os tais amigos que o homem da peça convidou para falar sobre sua intimidade. 

Sobre a criação do monólogo, Juan diz que a inspiração veio a partir da leitura de um romance francês. Com uma certa afinidade com as figuras de São Sebastião, o ator colombiano diz que as imagens do santo o auxiliaram a criar algumas histórias da peça.
"Basicamente, a ideia era fazer um processo de criação autônomo no qual o ator fazia tudo. Ou seja, eu assumi o papel de diretor, dramaturgo e ator nesta peça. Já fiz encenei de 15 peças em toda minha carreira, mas é a primeira vez que eu assumo todas as funções."
Cenário

O cenário é minimalista, conta com uma bacia, um prato de cerâmica e figuras do São Sebastião. Juan explica que a bacia serve para o início da peça, enquanto o público vai adentrando no teatro e observa o homem do espetáculo tomar banho. 

O prato da cerâmica é utilizado para queimar alguns documentos essenciais da peça. "Começa com água e termina com fogo", explica.

As figuras de São Sebastião representam, segundo Betancur, o ícone da cultura gay. Em uma mistura de dor e prazer mostradas nas imagens, o ator diz que as representações do santo na peça simula os amantes, as experiências e as descobertas do homem do monólogo.

A peça foi apresentada ontem (21/09) no Teatro 1 no Sesc Esplanada, na capital, por meio do festival de teatro Palco Giratório. A classificação é 16 anos. 

Será que rola de a peça passar no Rio e em outras capitais?

Um comentário:

  1. Como tera sido o publico??? Muito? pouco?

    A ideia é interessante.

    abraços Junior

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.