Papa Francisco cansado de religiosos fanáticos, repetitivos e preguiçosos
Em longa entrevista a uma revista católica, o papa declarou, respondendo à vários outros assuntos polêmicos, que a Igreja tem o direito de manifestar as suas opiniões, mas não de interferir espiritualmente nas vidas de gays e lésbicas. 

A crítica é uma direta aos religiosos obcecados em pregar sobre o aborto, casamento gay e contracepção - e disse que escolheu não falar sobre isso.

Confira alguns trechos das palavras de Francisco. Se possível divulgue o máximo nas redes sociais. Essa história de religiosos meterem o bedelho onde não devem passou dos limites.

A Igreja algumas vezes se aferra a coisas pequenas, regras de mentes fechadas. O povo de Deus quer pastores, não clérigos que atuem como burocratas ou funcionários do governo.

Uma pessoa me perguntou, de jeito provocador, se aprovava a homossexualidade. Respondi com outra pergunta: ‘Diga-me: quando Deus olha para um homossexual, ele aprova a existência dessa pessoa com amor ou a rejeita e a condena?’ Devemos sempre considerar a pessoa.

Fonte: um monte de sites e blogs do mundo inteiro (é só 'googlar')

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.