Um passageiro da companhia aérea Jetstar, subsidiária da australiana Qantas, teve uma surpresa ao buscar sua mala na esteira de bagagem quando chegou ao seu destino. Várias etiquetas foram coladas à mala vermelha formando a frase "I am gay" ("Eu sou gay", em inglês).

O consumidor, que não se identificou, relatou o caso em seu blog. Segundo ele, a Jetstar pediu desculpas e está investigando o caso.

A mala do passageiro foi a primeira a ser disponibilizada na esteira de bagagem. Ele diz que, ao verem a inscrição, os demais passageiros passaram a encará-lo.

Como tinha de pegar outro voo, ele pegou a mala e andou com ela pelo terminal do aeroporto. Todas as pessoas por quem ele passava, diz, o olharam de forma diferente.

O passageiro conta que se sentiu humilhado. "Não são as palavras que ferem. É a intenção por trás delas. 'Eu sou gay' não foi escrito na minha bagagem como uma celebração. Foi usado em tom pejorativo, para humilhar", afirma.

O consumidor também se mostrou chocado com o preconceito demonstrado pelas pessoas que circulavam pelo aeroporto.
"Eu sou um homem heterossexual branco. Isso significa que eu não estou rotineiramente submetido a preconceito. Mas, por alguns minutos, andei na pele de um gay em um lugar público. Se o que eu senti por aqueles poucos minutos é vivido a cada dia por outras pessoas, então eu posso entender completamente por que nossos amigos gays se sentem perseguidos."
Merecia uma ação judicial! Se a companhia aérea possui em seu quadro funcional empregado(s) tão 'nosense' ela que pague pelos atos irresponsáveis dele(s).
Fonte: UOL

Um comentário:

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.