Scott Mills é apresentador da BBC Radio I e famoso e bem-sucedido DJ de Londres. Seu salário, em 2006, de acordo com o jornal The Sun na ocasião, era de £ 130.000/ano - cerca de 500 mil reais/ano.

Mills revelou sua homossexualidade para a imprensa em 2001 para evitar especulações de tabloides. Em seu programa, ele faz comentários 'deflexivos' com temas gays e brinca dizendo que "não tem sorte com mulheres". Em entrevista ao The Guardian, ele explicou que "só queria ser aceito como um cara gay normal que trabalha em rádio e televisão".

Scott é o número 12 na lista do "Independent on Sunday's Pink List" de 2010 [pessoas LGBT que fazem a diferença]. No ano anterior, foi considerado o 50º gay mais influente da Grã-Bretanha.

Em 2012, além de lançar sua primeira autobiografia, "Love You Bye", o DJ protagonizou o documentário da BBC chamado 'O pior lugar do mundo para ser gay'. O filme revela a vida dos gays em Uganda onde vários indivíduos não podem viver sua sexualidade livremente e podem pagar com a própria vida. 

Scott consegue passar leveza ao documentário, se é que podemos dizer isso para uma realidade tão dramática. Há passagens engraçadas quando, por exemplo, ele visita uma entidade espiritual (pai-de-santo), que promete transformá-lo em heterossexual.

O documentário tem aproximadamente 50 minutos e foi exibido no canal fechado GNT. Quem ainda não viu, vale muito a pena. Assista agora.


Um comentário:

  1. Caramba.. e eu aqui reclamando dos gays enrustidos e medrosos que existem na minha cidade...rsrsrsrsrs

    ResponderExcluir

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.