Krzysztof Charamsa é o primeiro padre que trabalhava no Vaticano a se declarar abertamente gay

Charamsa, de 43 anos, não é um padre qualquer. Passou 17 anos em Roma, onde desde 2003 era oficial da Congregação para a Doutrina da Fé, encarregado precisamente de defender a doutrina da Igreja. Além disso, é secretário da Comissão Teológica Internacional do Vaticano e professor de Teologia da Universidade Pontifícia Gregoriana e da Universidade Pontifícia Regina Apostolorum em Roma.

Ao sair do armário, concedeu longa entrevista publicada neste sábado no Il Corriere della Sera, jornal de maior circulação na Itália, em que convida a Igreja a aceitar plenamente os fieis homossexuais.

Ele fez isso em um momento crítico: na véspera do Sínodo da Família, que o papa Francisco abriu neste domingo, e em que prelados de todos o mundo irão debater temas como o tratamento a divorciados e homossexuais.

Charamsa disse que a revelação pública busca levar uma mensagem à Igreja. "Quero, com minha história, sacudir um pouco a consciência da Igreja", afirmou.

Mais declarações do padre:
Quero que a Igreja e minha comunidade saibam quem sou: um padre homossexual, feliz e orgulhoso de sua identidade. Estou disposta a pagar as consequências, mas é hora de a Igreja abrir seus olhos para os fieis homossexuais e entender que a solução oferecida, a abstinência total da vida amorosa, é desumana.
Charamsa concedeu uma entrevista coletiva acompanhado de seu parceiro
Gostaria de dizer ao Sínodo que o amor homossexual é um amor familiar, que necessita da família. Todas as pessoas, incluindo os gays, lésbicas e transexuais, têm no coração o desejo de amar e de ter relações familiares.
Como punição por sua declaração, o Vaticano anunciou que ele não poderá continuar em seus cargos.

O que opinar a respeito dessa expulsão, não é? Um padre tem o dever de preservar o celibato e toda regra não obedecida tem sua consequência ou punição. Charamsa não só a infringiu como alardeou seu feito para o mundo. 

Por outro lado, o que dizer da atitude do Vaticano quando (ainda) faz vistas grossas aos crimes de padres pedófilos transferindo-os entre as paróquias espalhadas pelo mundo? O intuito é esconder os crimes e ocultá-los das autoridades judiciais. 

Charansa perde um cargo importante no Vaticano, mas sua consciência continua imaculada.

Curta a nossa fanpage no Facebook
Via


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.