Cada geração encontra novas maneiras de transar, de se entorpecer e de assustar as autoridades. O British Medical Journal advertiu que o aumento do consumo de chemsex significa que ele não é mais uma história de terror alardeada pela mídia, mas uma questão de saúde pública. 


A receita varia, mas chemsex geralmente envolve a combinação de crystal meth, mefedrona, GHB e GBL, com múltiplos parceiros praticando sexo que pode durar três dias - de sexta, à noite, até segunda de manhã. O alto risco do sexo desprotegido - pela impulsividade que a droga proporciona - é preocupante, já que o resultado (além das fortes ressacas e exaustão) vem aumentando o índice de contaminação de HIV, sífilis, gonorréia e hepatite C.

"É uma bomba-relógio para a saúde pública", diz o Dr. Richard Ma, médico especialista e parte da equipe do "Royal College of GP's Sex, Drugs and Blood Borne Virus" (Londres). "Os médicos precisam aprender a identificar os sintomas e a incluir drogas e sexo nas conversas que normalmente têm com pacientes alcoólatras."


Claro, orgias sexuais movidas a álcool sempre existiu, desde as orgias romanas. Mas então o que torna chemsex diferente do consumo de cocaína ou MDMA por um grupo que se junta a pessoas estranhas em um final de semana agitado?

A principal diferença, diz Ma, está na combinação específica de medicamentos que ajudam a capacidade de manter relações sexuais durante um período fenomenal de tempo. A disponibilidade imediata de produtos químicos sintéticos, combinados com a cultura crescente de pessoas que pensam da mesma forma, prontos para o mesmo propósito de fazer sexo por tanto tempo quanto possível, levou a uma explosão no cenário gay o qual é exibido no novo filme "Chemsex", produzido pelo Vice (vídeo abaixo).


Médicos e pesquisadores sabem muito pouco sobre a prática, riscos e consequências a longo prazo. Poucas pessoas procuram o médico com problemas relacionados à droga, mais o estigma em torno das infecções sexualmente transmissíveis é considerável.

Então, quais são os sintomas que os especialistas devem ficar atentos? Ansiedade, depressão, ataques de pânico e fadiga. Mas, claro, nem todos os usuários de chemsex apresentam esses sinais - assim como nem todos os alcoólatras podem ser encontrados dormindo num banco de praça.

Considerando que o perfil do usuário dessa droga é de jovens profissionais e bem-sucedidos que cuidam da saúde em outros aspectos, o problema está no comportamento após o consumo da droga que torna tudo irregular. Então, quais ações preventivas os especialistas costumam aconselhar? As de sempre: "se você pretende misturar sexo e drogas para se divertir, pelo menos tome algumas medidas sensatas para reduzir quaisquer riscos. E use preservativos".

Assista ao trailer de "Chemsex".


CHEMSEX - Official Trailer (2015) por filmow

Via The Guardian
Imagens obtidas do filme.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.