Como já ocorreu antes, porto riquenho é atacado nas redes sociais após perder título para britânico
REUTERS
Não foi dessa vez. Orlando Cruz, 35 anos, primeiro pugilista assumidamente homossexual da história do boxe, dedicaria o cinturão mundial à comunidade e atletas LGBT

Ao subir ao ringue no último sábado (26), em Cardiff, no País de Gales, Cruz foi nocauteado no oitavo round por Tony Flanagan. O britânico dominou o porto-riquenho e manteve o título do peso-leve do Conselho Mundial de Boxe (CMB).

REUTERS
Como ocorreu em 2013, comentários discriminatórios soaram nas redes sociais, desta vez mais pesados.

"Esta é a diferença entre o homem de verdade e a metade de qualquer coisa", dejetou Peter Fury, tio e técnico do polêmico ex-campeão Tyson Fury.

"Não tenho nada contra gays, tenho amigos gays. Mas se perdesse a luta para um pugilista gay, seria alvo de piadas de amigos pelo resto da vida. Então Flanagan tinha de vencer", evacuou Frankie Gavin, pugilista britânico.

Em 2013, dois meses após gravar vídeo no qual pede o namorado em casamento, Cruz brigou e perdeu o título para Orlando Salido. Durante a luta, ele escutou gritos homofóbicos de alguns torcedores.

A vida é um ringue e a luta contra homofobia continua. Vamos em frente.

REUTERS
REUTERS



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.