Quando o tradutor iraquiano Nayyef Hrebid e o soldado iraquiano Btoo Allami se conheceram em 2004, foi amor à primeira vista. Mas não só o relacionamento deles era ilegal, como ambos podiam ser assassinados por grupos extremistas. Aquela união estava fadada à clandestinidade.

Os dois estiveram no programa da Ellen Degeneres e Nayyef contou:
"É muito difícil ser gay no Iraque. Se eles descobrem, você é torturado e morto... Como nosso relacionamento crescia cada vez mais, sentimos que não podíamos ficar lá".

Enquanto para Nayyef foi finalmente concedido asilo nos EUA em 2009, devido aos perigos de ser um tradutor no Iraque, Btoo não pôde sair. Isso significou a separação física do casal durante quatro anos - embora se falassem todos os dias via Skype.

Btoo ficou sozinho no Iraque lutando para se reencontrar com Allami, foi quando a empresa World of Wonder, mesma produtora do show RuPaul’s Drag Race, se interessou pela história do casal para fazer o documentário "Out of Iraq - a love story".

Nayyef era tradutor do exército americano

Btoo, sargento do exército do Iraque
Atualmente o casal está casado e vive em Seattle. Em entrevista à BBC, Hrebid disse que agora estão num lugar onde podem ser quem são "sem se esconder" e os dois usam seu tempo ajudando jovens LGBT que deixaram o Oriente Médio procurando uma nova vida.
"Posso segurar a mão dele enquanto caminhamos na rua”, disse Hrebid à BBC. “Vivemos um sonho. Somos livres”, comemora Allami.
Ellen Degeneres terminou o bloco, anunciando que eles receberiam um presente especial para ajudá-los a comprar uma casa e começar uma família: cheque de $ 25.000 - cortesia de um dos parceiros do programa, a Shutterfly.

Veja mais fotos. Mais abaixo assista à entrevista no programa Ellen Degeneres e ao trailer do filme.




Confira os vídeos.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.