Seu perfil em app de sexo ou namoro diz algo parecido com "nada contra, mas não curto afeminados" ou "não sou nem curto afeminados" ou ainda "másculoxmásculo"? Essa atitude pode surtir um efeito dobrado, ou seja, pode afastá-lo das pessoas que você de fato não deseja, mas também distanciá-lo de outras com as quais você poderia se envolver.

Recente estudo publicado em "Computers in Humans Behavior", intitulado "Masculine Guys Online", pesquisou a rotina de 144 homens gays e bissexuais que buscam encontros na web e descobriu que a maioria deles considera os caras que escrevem coisas do tipo: "masc4masc" (másculo para másculo)", "no fem" (afeminados não) ou "only real men" (somente homens de verdade) pessoas "significativamente menos inteligentes, significativamente inseguros na cama e significativamente desprezíveis na hora de marcar encontros".

Tradução livre: "Como ele se parece no Grindr" "Como se parece no Instagram".
Joe Stone, colunista da Attitude, fala sobre o assunto: "Claro que nada disso é realmente novo. Mas a proliferação de perfis de namoro gay que apresentam um corpo sem cabeça ao lado de uma descrição que diz "não a gordos, asiáticos e afeminados" é um dos aspectos mais deprimentes da cultura gay moderna. Para mim, é duplamente preocupante - primeiro porque as pessoas se tornam claramente ignorantes, segundo porque parecem confortáveis com essa ignorância".

Em novembro, o blogueiro Jeremy Alexander publicou uma matéria intitulada "Fellow Gay Men, Stop Glorifying Toxic Ideals Of Masculinity" (Companheiros, Parem de Exaltar Ideias Tóxicas Sobre Masculinidade - tradução livre) sobre a questão de homossexuais que são excessivamente agressivos e obcecados com dominação.
"Minha teoria é simples", escreveu Alexander. "Esses homens querem supercompensar o fato de serem gays. Em algum nível, eles vêem a homossexualidade como algo negativo e, por padrão, sua orientação sexual faz deles uma 'bicha'."
Ele acrescenta: "Curiosamente, ser confundido com 'hétero' é o desejo de boa parte dos homens gays na esperança de incorporar, em seu estilo de vida gay, os traços do homem heterossexual".

Uma foto publicada por Queerty (@queerty) em


O meme acima é sobre o assunto e circula há algumas semanas na rede (tradução livre): "Masculinidade é a máscara que usamos para ganhar aceitação numa sociedade que privilegia os homens em detrimento das mulheres?".

Mas há um lado positivo a tudo isso, diz Stone.
"Pelo menos, homens com perfis "Masc4Masc" nos informam diretamente o quão involuídos eles provavelmente são. Pelo menos, o suficiente para não merecerem o nosso tempo."
Nesse aspecto, o cineasta John Waters também já havia se pronunciado:"Se você for a um encontro na casa de alguém e se essa pessoa não tiver livros, não foda."

E conclui: "Talvez se adotássemos a mesma política, isso levaria a uma conscientização geral. No mínimo, ajudaria esses caras a atingir seu objetivo uma vez que nunca ter relações sexuais com outro homem é o real significado de ser verdadeiramente hétero".

Qual a probabilidade de você conversar com um cara que escreve "afeminados não" em seu perfil de namoro? Responda à enquete abaixo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.