"Enquanto treina, você pode se sentir fisicamente cansado, mas mentalmente você acelera."
Acordar no raiar do dia e ir direto para a academia é a melhor coisa para o corpo e para se sentir bem o resto do dia, dizem as pessoas que têm esse hábito. Mas será que aquelas que gostam de fazer tudo à noite, inclusive malhar, estão prejudicando seu organismo?

A sabedoria comum sugere que a combinação do aumento da freqüência cardíaca, da temperatura corporal e dos níveis de adrenalina e cortisol é um desastre para uma boa noite de sono.


Mas o que acontece com quem trabalha em horários alternativos e só pode ir à academia no último horário da noite? Ou os notívagos que simplesmente 'vivem' a noite?

Os efeitos do treino antes de ir pra cama podem não ser tão ruins como se pensa. Stuart Quan, professor de medicina do sono na Harvard Medical School e editor da UnderstandingSleep.org, diz que a melhor hora para treinar geralmente varia de pessoa para pessoa.
"Se alguém precisa dormir de noite e já tem problemas com insônia, os exercícios físicos muito próximos da hora de dormir podem piorar esse quadro", explica dr. Quan.
Estudo da National Sleep Foundation descobriu que treinar até quatro horas antes de deitar não tem grande impacto na qualidade do sono.
Dr Quan diz que, enquanto treina, o corpo produz mais quantidade de cortisol ou adrenalina que pode inibir o sono.

No entanto, o especialista em sono explica que tanto cortisol, um hormônio esteroide, e adrenalina, que aumenta o fluxo sanguíneo dos músculos, assim como o aumento dos níveis de açúcar e dos batimentos cardíacos, levam apenas cerca de uma hora para regular e voltar ao normal.

Um estudo de 2013 realizado pela National Sleep Foundation - NSF (Fundação Nacional do Sono), concluiu que não foram observadas grandes diferenças na qualidade do sono entre pessoas que realizam exercícios físicos "vigorosos e/ou moderados" mais cedo e aquelas que malham até quatro horas antes de ir para cama.


A pesquisa, que incluiu 1.000 participantes dos Estados Unidos, descobriu que 17% das pessoas que se exercitaram dentro das quatro horas que antecedem o sono, gozaram de "qualidade de sono muito boa de maneira geral" enquanto que 59% tiveram um descanso "razoavelmente bom".

Já entre as pessoas que se exercitaram fora das quatro horas que antecedem a hora de dormir, 22% tiveram uma qualidade de sono "muito boa" e 58% "razoavelmente boa".

Em geral, o estudo descobriu que 83% dos "malhadores vigorosos" relataram uma qualidade de sono muito ou razoavelmente boa, independentemente da hora do dia em que treinam, em comparação aos 56% que não praticaram exercícios.


Tempo para relaxar

A NSF compara o treino a noite com o banho morno. "Assim como o seu corpo esfria após o banho, fazendo como que você se sinta sonolento, o resfriamento pós-treino também o ajuda a prepará-lo para o sono". Em suma, cada pessoa deve treinar em diferentes horários do dia para descobrir qual o mais adequado aos padrões individuais de sono.

Segundo o Dr. Quan, nossos padrões de sono são em grande parte ditados pela genética. 
"O ritmo do organismo ou o relógio biológico, tudo é amplamente ditado por genes que são herdados", acrescenta o médico.
Estudos feitos com gêmeos idênticos e não idênticos sugerem que mais de 50% têm seu cronotipo explicado pela herança genética", diz Dr. Quan. "O restante vem de fatores ambientais, como escolhas de estilo de vida e o horário do trabalho", conclui.

Dr Quan aconselha as pessoas que treinam de noite a esperar pelo menos uma hora antes de dormir para o corpo esfriar. Devem "manter o horário regular de ir para a cama e dormir pelo menos sete horas". O melhor lema para quem vive a noite é "melhor tarde do que nunca".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.