"Sou umas das atrizes principais de filmes românticos que assumiram a sexualidade e continuo trabalhando."
Com essa afirmação, durante um debate sobre orgulho e preconceito LGBT promovido pela revista "The Economist", a atriz Amber Heard pretende contradizer a opinião de que sair do armário é sinônimo de declínio na carreira de ator.

Desde que a atriz apresentou sua então namorada, a fotógrafa Tasya van Ree, em 2010, muito se especulou sobre o risco de se revelar bissexual ou gay em Hollywood, principalmente com carreira em ascensão - era seu caso na ocasião.

Amber e Tasya namoraram mais de quatros anos
Amber Heard, que atuou em filmes como "A Garota Dinamarquesa" e "Zumbilândia", afirmou que hesitou em revelar sua bissexualidade no momento em que era uma artista em ascensão. “Fiz isso mesmo com as pessoas me dizendo que eu iria acabar com minha carreira”, disse ela.

No começo, a atriz pensou que não seria necessário falar publicamente sobre sua sexualidade, segundo a revista People. "Quando alguém comentava sobre sair do armário, eu achava engraçado".

Amber Heard durante debate sobre orgulho e preconceito LGBT.
"O motivo para contar histórias e atingir o público é desafiar o status quo", declarou. "Ocupamos uma posição privilegiada para desafiar o status quo. Temos que pressionar ativamente", declarou a ex-mulher do ator Johnny Depp.
"Se todo gay de Hollywood que eu conheço pessoalmente saísse do armário amanhã, a homossexualidade deixaria de ser um problema em um mês", concluiu.  
Matt Bomer, Ian McKellen, Jim Parsons e Cheyenne Jackson estão entre os poucos atores que assumiram a orientação LGBT.

Fontes: Marie Claire e People

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.