Soldado que lutou na Segunda Guerra Mundial revela que decidiu viver como mulher aos 90, depois de uma vida negando seu verdadeiro gênero.

Patricia Davies tem 90 anos e diz que sabia que pertence ao gênero feminino desde os três anos de idade, mas que por décadas teve medo da reação das pessoas caso revelasse.

Em 2016, após a morte de sua esposa, Davies teve seus registros médicos alterados de homem para mulher.

Ela revelou primeiramente para sua esposa em 1987, e foi ela quem comprou  as primeiras joias e vestidos para Davies que os usava em segredo.

Com medo do bullying das pessoas nas ruas, Patricia continuou a viver como Peter. Ela é fotógrafa industrial aposentada. Natural de Leicestershire (Reino Unido), serviu o exército britânico entre 1945 e 1948.

Patricia deixou as forças armadas aos 21 anos, mas não antes de servir em vários continentes.


Ela diz: "Parece que um peso foi tirado dos meus ombros. Eu estava vivendo uma mentira. Lentamente comecei a contar a alguns dos meus vizinhos. Todo mundo disse 'não se preocupe, contanto que esteja feliz'."

"Eu soube que eu era transgênero aos três anos de idade. Eu conheci uma menina chamada Patricia e eu decidi que queria ser conhecida por esse nome."

"A partir dos quatro anos, eu só queria brincar com brinquedos de meninas. Eu não queria soldados de brinquedo; queria uma tábua de passar."

"Minha mãe embarcava na mesma viagem. Fomos ver 'Peter Pan' e eu queria ser a fada. Ela me fez uma varinha. E ela não disse nada sobre isso ser estranho."


"Eu sempre fui atraída por mulheres, mas não de forma sexual. Eu não sou gay. Minha atração por mulheres era porque eu queria ser como elas. Eu queria ser como as pin-ups."

"Eu nunca fui totalmente infeliz. Sempre fiz a maioria das coisas olhando o lado positivo delas."

"A atmosfera [em torno de ser transgênero] não era seguro. As pessoas não entendiam o que era ser uma transexual. "

"Por causa da hostilidade geral das pessoas eu fiquei quieta. Até que recentemente me senti segura para sair do armário. Eu senti um desejo esmagador de me libertar. Então saí e não me arrependi."

Ela acrescenta: "Eu tinha que manter a boca fechada sobre ser transgênero, seria um desastre revelar isso."

Ela disse que manteve silêncio no exército sobre ser transgênero por medo de ser taxada como homossexual. "Mas estava tudo bem em geral e tenho orgulho de ter servido durante a guerra e de ter feito o serviço militar, em particular durante o problema na Palestina."

Davies está recebendo terapia hormonal agora, aos 90 anos, e mudou oficialmente seu gênero. Como tem uma tia que viveu até os 104 anos, ela espera ter algum tempo para aproveitar a sua vida pós-transição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.