Quem criou a palavra homofobia foi o psicoterapeuta norte-americano George Weinberg em 1965 - que morreu de câncer aos 87 anos, em 20/03/2017. A primeira vez que o termo surgiu na mídia foi em 1969.

Desde que apareceu na mídia mainstream em 1969, quando a revista TIME se referiu ao pânico e repulsa que alguns americanos ainda tinham em relação aos gays, o termo homofobia ganhou notoriedade no mundo todo. 

Mas foi em 1965 que Weinberg inventou a palavra. Naquele ano, em sua cidade, Nova Iorque, ele foi convidado para palestrar sobre homossexualidade e convidou uma lésbica para discursar também. Ao consultar os demais colegas, foi aconselhado a desfazer o convite - irônico uma lésbica causar constrangimento (ou medo) em um evento sobre homossexualidade!  

O terapeuta percebeu que havia mais que preconceito na reação de seus colegas, havia medo também. Daí veio a inspiração dele para criar e usar a palavra homofobia pela primeira vez na história. 

O medo que alguns indivíduos têm de pessoas LGBT tem a ver com ansiedade negativa e irracional.  

Mais recentemente - no Brasil pelo menos -, a palavra se desmembrou para todos os segmentos LGBT individualmente, como lesbofobia e transfobia. Juntando as siglas, o termo destaca a fobia quando está associada a todos os indivíduos de nossa sociedade que se relacionam com pessoas do mesmo sexo de nascimento, a LGBTfobia.

Acompanhe algumas frases escritas por George Weinberg.


"Muitas pessoas acham que os gays são mais felizes do que realmente são, então querem puni-los."

"Sair do armário é uma forma de afirmar sua sanidade e auto-estima."

"Homofobia é somente isso: uma fobia."

"Na realidade os homens são o sexo frágil."

"Todo amor é original, não importa quantas pessoas você amou antes."

"Eu tenho muito orgulho de ser a pessoa que inventou a palavra."
Mas há quem não goste do termo homofobia, como o ator Morgan Freeman que uma vez declarou em seu Twitter.

"Eu detesto a palavra homofobia. Não é fobia. Você não tem medo. Você é um imbecil."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.