Sentado no chão segurando um rifle de guerra,com várias armas e munições espalhadas no chão
Ramzan Kadyro

O presidente da Chechênia emitiu um aviso arrepiante aos homens gays da região: até o início do Ramadã, não existirá comunidade gay na região chechena.


O presidente da República Chechênia não está mais preocupado com a imprensa internacional. Há algumas semanas Ramzan Kadyrov negou que houvesse uma força tarefa para 'exterminar' os gays de sua região, mas agora parece que foi declarada uma perseguição na mídia da Rússia.

Quem revelou a terrível ameaça do líder checheno foi o ministro das Relações Exteriores da Grã-Bretanha, Alan Duncan, durante uma reunião urgente no parlamento sobre tal situação.

De acordo com o site Pink News, Duncan disse que "grupos de direitos humanos informaram que essas campanhas contra os gays e as ocorrências de mortes são mesmo orquestradas pelo chefe da república chechena Ramzan Kadyrov".

"Ele levou a cabo outras campanhas violentas no passado, mas desta vez ele foca seus esforços para a comunidade LGBT", Allan Duncan.
O ministro acrescentou que "tais atitudes e ações são absolutamente desprezíveis". De acordo com Elena Milashina, a escritora que revelou os ataques do governo checheno à comunidade LGBTQ, uma investigação russa estava programada para começar no último final de semana.

O Ramadã, que é o nono mês sagrado muçulmano, começa no dia 26 de maio deste ano e é amplamente comemorado na Chechênia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.