Tim Valenti, um dos maiores produtores de filmes gays pornôs dos EUA
Empresas do ramo pornográfico se reinventam para driblar a crise e a pirataria da internet. No Brasil, eventos como Prêmio Sexy Hot levam o público a se aproximar dos atores pornôs. 

No universo pornô, qualidade é algo subjetivo - há pessoas que gostam de ver sexo com romance, mas tem gente que gosta de sexo hardcore, entre outras coisas -, mas o consumo é bem objetivo: quase todo mundo já 'usou o produto'.

Pesquisas ao redor do mundo constatam que, em algum momento da vida, as pessoas já assistiram a filmes pornôs - na era da internet, mesmo sem querer. O site de sexo PornHub, um dos maiores do mundo, divulgou em janeiro o seu número de acessos: algo em torno de 23 bilhões de visitas ou aproximadamente três vezes a população da terra.

De acordo com o site, filmes dessa categoria são feitos em quase todos os países do mundo e cada um produz com suas particularidades, o que leva as pessoas a curtirem mais filmes de um determinado país do que de outros. Por exemplo, há quem prefira filmes japoneses em detrimento dos americanos porque os acha mais erotizados.


O ranking dos maiores consumidores é o seguinte: Estados Unidos são o país mais erótico do mundo, seguidos pelo Reino Unido e Canadá. O Brasil ocupa a 10ª posição. O capital mundial que gira nessa indústria é algo em torno de 100 bilhões de dólares/ano. EUA representam quase 13% desse valor.

A indústria pornográfica cresce a cada ano, mas tenta se reinventar para não ser engolida pelas armadilhas da internet, como a pirataria, hackers, etc., afinal, por que pagar por algo que pode ser encontrado de graça em algum lugar da rede?

A produtora de filmes pornôs Brasileirinhas, uma das maiores e mais respeitadas do Brasil, apostou em novos formatos para se atualizar e manter um público fiel. Ao site iG, o CEO da empresa, Clayton Nunes, disse que a alteração do formato do site para atrair mais assinantes incrementou a renda da produtora – ainda que tenha resultado em queda de visitantes.

Para driblar a concorrência e fugir da pirataria, as produtoras  investem em modelos de conteúdo e ferramentas que aumentam a interação entre público e atores, segundo Nunes.

O Prêmio Sexy Hot é uma dessas ferramentas. O evento, que acontecerá no dia 06 de junho em São Paulo, está em sua quarta edição e foi criado para fomentar o mercado de filme adulto nacional.


Tudo começa com a votação aberta ao público - encerrada desde o dia 2/6.  Das 17 categorias, 13 são decididas pelo voto popular no site. O júri técnico analisa Melhor Diretor, Melhor Filme Hétero, Melhor Cena Homo Feminino e Melhor Cena Transexual.
“Esse ano recebemos 200 inscrições nas 17 categorias, que é um número ainda maior do que ano passado. Isso mostra que cada vez mais as pessoas envolvidas na produção dos filmes querem fazer um bom trabalho e ver seu esforço reconhecido”, afirma Maurício Paletta, diretor da Playboy do Brasil.
O canal Sexy Hot está completando 21 anos e o momento da premiação será o pontapé inicial para a comunicação da data. “Ao longo desses anos estivemos à frente de diversas novidades e vivemos muitas mudanças no universo pornô. Não teria melhor momento para comemorar do que no Prêmio, que já virou um marco na nossa história”, diz Maurício.

As produções LGBT têm espaço e destaque na premiação. Dentre as 17 categorias, cinco são para filmes que abordam esta temática: Melhor Atriz Trans, Melhor Ator Homo, Melhor Atriz Homo, Melhor Cena Trans e Revelação LGBT, que contempla em seus indicados um ator homo, uma atriz homo e uma atriz trans. 

Destaque na cena nacional, a drag Pablo Vittar vai entregar três estatuetas: ator e atriz homo e atriz trans. O maquiador e ex-BBB, Dicesar e o carnavalesco Milton Cunha também entregarão alguns prêmios.


Transmissão ao vivo pelo YouTube

Uma das grandes novidades é que esse ano o Prêmio será transmitido diretamente no YouTube do canal do Sexy Hot, o Só para Maiores. É a primeira vez que o evento terá uma transmissão ao vivo, matando a curiosidade do grande público que gostaria de saber tudo o que rola no Oscar do pornô brasileiro.

O cantor Leo Jaime retorna como o apresentador da premiação. “Foi ótimo apresentar o Prêmio ano passado. É muito importante dar luz e visibilidade a esses profissionais e fiquei muito feliz em ser chamado novamente.  Com certeza esse ano teremos surpresas e uma noite divertida acima de tudo”, afirma o cantor. Mr. Catra, Renata Frisson, a Mulher Melão, Sabrina Boeing Boeing, Nizo Netto, Tatiana Presser e Natália Rosa também estarão presentes no evento. Caberá a eles a tarefa de entregar alguns prêmios da noite de gala.

As categorias estão no site (clique)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para se cadastrar, preencha o formulário na coluna do lado direito do blog.
Seu comentário é bem vindo, desde que:
1. possua nome e link válidos;
2. não contenha cunho racista, discriminatório ou ofensivo a pessoa, grupo de pessoas ou instituições;
3. não contenha cunho de natureza comercial ou propaganda.
Grato pela compreensão.